Livro "Sacramento" Do Autor Felipe Cangussu Tem Capa De Domínio Público

15/11/13


Quando um autor escreve um livro, ele geralmente não pensa no porvir. Mas logo depois esta realidade se torna cada vez mais presente e inevitável. Primeiro muitas vezes vem a revisão, processo este que considero o mais árduo. Depois de apanhar muito do revisor vem a diagramação e por último a capa. Muitas vezes se vende a capa, para depois se vender o livro. E uma linda capa as vezes pode vender livros cuja a historia não seja tão boa. Agora quando é o contrario? Quando a capa não é tão boa mas a historia se julga fascinante? No livro "Sacramento" do autor Felipe Cangussu, a historia é linda e tão bem inscrita quanto as falas do autor ao vender seu livro na Bienal do Rio de Janeiro. Mas o que ele não contava ( acho que ninguém conta ) é a que sua capa não pode ser uma coisa única do seu livro, a sua capa pode ser de um banco de dados internacional, ou seja ela não pode ser uma coisa que unica do seu livro, mas uma coisa comum, basta alguém pagar e pronto, tenho permissão para usar sua capa. 






 Na capa do livro, podemos perceber o quanto ela é linda, mas se você pagou para uma empresa fazer a capa. Você não acha que ela deveria contratar um capista para desenvolve-la? Não deveria criar uma capa que torne o seu livro único? A editora Novo Século, não entendeu assim e simplesmente usou uma imagem do site 'Shutterstock' ( site de banco de imagens, clique aqui ) para simplesmente colocar como capa do livro do autor. Ao questionarmos a postura da editora de publicar um livro de um site de banco de imagens e colocar ela como capa do livro "Sacramento" recebemos a seguinte resposta: 

Não se trata de uma imagem de domínio público, mas sim de um banco de imagens  que utilizamos para desenvolver as capas.
Há diversos meios para o desenvolvimento de uma proposta, a mais viável é o banco de imagens que, em nosso caso, possui uma assinatura semestral.
Pretendemos manter nossa postura democrática; sendo assim, compreendemos e acatamos sua crítica diante da referida publicação.

Mas o Cabana do Leitor questiona ainda assim a postura da editora, pois entendemos que o autor foi desrespeitado por ter um gasto de 15 mil para ter sua primeira obra publicada pelo selo Novos Talentos e ainda sim não tem uma capa própria ou seja uma imagem pública, basta alguém pagar para ter autorização sobre ela.

Lembramos que o compromisso do Cabana do Leitor não é com nenhuma editora, mas com o leitor e o autor de livros nacionais. 

0 comentários: