O Lado Bom da Vida - Por Diego Lanza


O Lado Bom da Vida
(The Silver Linings Playbook)

 Autor: Quick, Matthew;
 Editora: Intrinseca
Categoria: Literatura Estrangeira / Romance
Edição : 1 / 2013
Idioma : Português
Número de Paginas : 256
Tradutor : Alexandre Raposo

Quick Matthew tem um estilo muito intimista. Ele descreve sem firulas os sentimentos de seus personagens, e consegue soar sincero e emocionante. Diferente do filme, a história e o destaque vão todos para Pat Peoples. E seu histórico de internação e sua patologia psíquica tem muito mais impacto em sua jornada de superação. E Embora Tiffany seja apenas uma coadjuvante – cuja presença é bem construída apesar de não aparecer tanto, sua personalidade é muito mais problemática aqui. E todo o suspense sobre o passado e os atos de ambos é bem construída e revelada aos poucos, coisa que não existe no filme. Eu ouso dizer que a adaptação cinematográfica usou os mesmos personagens numa história semelhante à original, mas ainda sim uma outra história. No livro tudo é mais interessante, e as ações e escolhas dos personagens ganham mais peso. 

O concurso de dança não se transforma no clímax do livro, e há ainda muito história depois disso. Aliás, todo o final, até antes do concurso, é completamente diferente do filme, na maneira como decorre. 
E eis o trunfo do livro – tudo funciona muito bem. Do trailer à lá Rock para ilustrar os árduos ensaios, ao final sincero e tocante – e ligeiramente em aberto. É emocionante. 

A mãe de Pat – aliás, toda sua família – ganham ainda mais destaques e são bem trabalhados dentro de  seus conflitos próprios. E todas as referencias de literatura que o autor usa quando seu personagem lê os livros clássicos é muito bem empregada e casa perfeitamente com o desenvolvimento humano de Pat, além de trazer reflexões importantes – como as que envolvem a historia de Sylvia Plath no autobiográfico a redoma de vidro, numa mensagem tocante. 

O livro ajuda a contextualizar a realidade de egressos de instituições psiquiátricas e sua restituição à sociedade, ainda que este não seja o plot principal da história, tangeia toda a trajetória de seus personagens. 

Leia o lado bom da vida! É impossível não torcer pela ingenuidade de Pat, e não se apaixonar pela completamente porra louca da Tiffany. São aquele tipo de personagens que dá saudades de ter ao lado! 


0 comentários: