Resenha do Livro “A Culpa é das Estrelas” – John Green

 Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Número de Paginas : 288
Tradutor : Renata Pettengill




Por Diego Lanza








Este foi o primeiro livro de John Green que li. (Na verdade eu tenho um outro, chamado Will e Will, que ele escreveu em coautoria) Fiquei com alguns preconceitos em lê-lo, achando que seria muito infanto-juvenil. Que nada! Desde o momento que li a primeira frase não quis largar o livro, a história e seus personagens me conquistaram de tal modo que o li em 2 dias. E chorei baldes. O livro pega um tema pesadíssimo – o câncer terminal, e através de um elenco de personagens memoráveis, nos apresenta reflexões filosóficas sobre a vida, e um belo e tocante romance juvenil. 

 Na mesma vibe de “As vantagens de ser invisível” (de Stephen Chbosky), o livro tem momentos deliciosos. O câncer e a morte são tratados de maneira mordaz, sem nenhuma pieguice. Com muita sensibilidade, a forma como os jovens personagens – Hazel, Augustus, Isaac, entre outros – vivenciam o limite da vida em meio a uma doença muito debilitadora é apresentada ao leitor de maneira agridoce. Sem nunca negarem ou esquecerem suas condições, os personagens discutem muitas vezes qual o limite de suas personalidades. Ter ou Ser câncer? Uma vez doente terminal, sua vida passa a ser o câncer, sua identidade passa a ser a de doente profissional? Tal questão é angustiante, mas importante. A autonomia e a saúde andam lado a lado, e uma patologia – seja física ou mental – cria uma vivencia nas famílias que obriga os membros a orbitarem em volta da questão, almoçando e jantando ela, por exemplo. É tocante a forma como Hazel se preocupa com a vida dos pais, uma vez que tem a impressão que eles vivem por ela, em função de sua doença. 

 O romance entre Hazel – a protagonista – e Augustus é delicadamente conduzida. Os medos, as dores e a intensidade de um amor juvenil é descrita, com todos os seus clichês, mas temperadas de um molho especial. Os sentimentos reverberam no leitor, e certamente quem segura o livro vai sentir saudades imensas de acompanhar a vida daquelas pessoas. 

 Isso sem contar as geniais tiradas de Green e a historia de um livro dentro do livro, como a relação que Hazel e Augustos criam com o romance fictício Uma Aflição Imperial,  Escrito por Peter Van Houten (escritor fictício), que é um romance que trata da temática do câncer. 

 Preparem a caixa de lenço, e acreditem no que Marcus Zusak diz na capa de “A culpa é das estrelas”. Você vai realmente rir, chorar e pedir bis! 

Um comentário: