E que venha a Bienal 2013!!!!!


 Esta semana presenciaremos uma grande festa literária – a Bienal do Livro! E hoje (e também nas próximas terças) falarei um pouco sobre ela. 

A bienal já está em sua 16ª edição, e eu só tive o prazer de comparecer na última edição no Rio de Janeiro, em 2011. Vários foram os fatores que me levaram a não ir a um evento que sempre foi o meu sonho: falta de companhia, dificuldade de locomoção, morar em outro estado, problemas financeiros etc.
Mas em 2011, não resisti e fui. 

 Eu me lembro como se fosse hoje. O encantamento foi instantâneo. A vontade de montar uma barraca no meio de tantos livros foi pungente, pois sabia que não poderia. Aquele era o mundo que eu gostaria de viver. Um mundo de fantasia, de páginas, de personagens, de histórias instigantes e originais. Aquela era a minha casa.

 Não fiz nenhum planejamento para estar ali. Não levei lista de livros para comprar, não anotei datas e horários dos autores que estariam presentes, não pesquisei em quais pavilhões estariam as editoras que eu mais gostava, não fui de sapato baixo, não levei mochila para carregar os livros que eu provavelmente compraria, enfim... Fui com a cara, a coragem, o dinheiro no bolso e a disposição para encontrar o que eu não sabia bem o quê.

Logo que cheguei, encontrei filas enormes para pagar estacionamento e entrada. Parecia um mero detalhe (embora ficar mais de 1 hora numa fila embaixo do Sol não fosse muito inspirador), mas aquilo me aborreceu muito. Eu queria entrar logo para ver os livros, e a fila estava me impedindo de fazer isso! O calor daquele dia também não ajudou o meu humor a se manter mais estável.

 Contudo, quando entrei, a transformação foi imediata: um sorriso escancarado e os olhos brilhando de contentamento. Eu queria ver tudo ao mesmo tempo. Queria correr atrás das grandes promoções. Queria esquecer o tempo lendo as sinopses dos livros que queria comprar. Queria folhear e sentir o cheiro dos livros novos. Queria dar voltas e mais voltas por aquele templo do saber e da cultura. 

 Fiquei um bom tempo escolhendo os livros que levaria. E comprei – pasmem! – 28 livros!!! Não me perguntem como consegui carregá-los. Aliás, não fui sozinha. Meu namorado estava comigo e também comprou. Somando tudo, carregamos 37 livros. Um número bem expressivo, levando-se em conta que não estávamos preparados para esse exagero. Era sacola na mão direita, na mão esquerda, no braço, apoiada no chão (para um descanso merecido). Só faltou mesmo carregá-las no pescoço.

Outro detalhe que me atrapalhou um bocado: o sapato! Uma dica que dou para quem vai à bienal: usem tênis, chinelo ou sandália rasteira. As moças devem deixar seus saltos e plataformas em casa. Eu resolvi ir com uma plataforma e me dei mal. Andei demais, carreguei muito peso e terminei o dia com uma tremenda dor nas pernas e os tornozelos inchados! O local é enorme. E você anda sem perceber. Eu sofri para achar a saída, pois estava muito longe e já não aguentava colocar os pés nos chão. Se eu estivesse com um calçado adequado, não teria sofrido tanto (e talvez tivesse comprado mais livros!). 

 As filas para comer também são tristes! O espaço para sentar e almoçar com tranquilidade inexiste para o tamanho do evento. É uma dança das cadeiras. Se você levantar, tem sempre alguém esperando para sentar. Então é melhor ter um pouco de humanidade e bater um papo em pé mesmo, para deixar se sentar quem quer comer. Eu comi só um sanduíche com suco, sentada num banco espremido, depois de aguardar alguém sair. Depois respirei um pouco e levantei para uma senhora se sentar. A maratona precisava prosseguir.

 Em 2013, será diferente. Já estou mais preparada para o que está por vir. Comparecerei em 5 dias – 29 e 31 de agosto, e 5, 7 e 8 de setembro. Serei leitora e autora. Comprarei livros e venderei também. Dia 7 de setembro é o meu grande dia. Estarei no estande da Editora Modo (pavilhão verde, rua P14) para autografar minha obra “MEDO DO ESCURO”, das 15 h às 16 h. E aguardarei com todo o carinho os leitores que se aventurarem nessa belíssima maratona literária.

 Em tempo: quando estive nessa bienal, cheguei a falar com meu namorado que gostaria de estar ali novamente em 2013, mas não simplesmente como leitora, e sim como autora. Seria um sonho... Era dia 7 de setembro de 2011. Dois anos depois, no dia 7 de setembro de 2013, estarei autografando meu livro.  E relembrar aquela frase que joguei no espaço, sem esperar que realmente se tornasse real, ainda me emociona.

Deus está mesmo atento a tudo! 
Uma ótima bienal para vocês!


Um comentário:

  1. Ai que tudooo...37 é absurdo eu seria proibida no 5 livro, aiaia ainda vou, numa Bienal ;) e ter um bebe nos braços oh benção hahahaah


    bjao

    ResponderExcluir