Resenha do Livro Celular Por L.L. Santos

Stephen King ficou conhecido ainda na distante década de 1970 como o "Mestre do Horror Moderno". E não foi para menos. Ele conquistou o público com sua narrativa impecável e enredos baseados no cotidiano. Conseguiu fugir a regra (se é que ela realmente existe) em todos os seus livros. Mas, se existe algo no qual o autor consegue se superar, é na sua imaginação sem limites. 

Estamos vivendo uma onda de zumbis em diversas mídias. E CELULAR, lançado originalmente em 2006, mostra que tem força de sobra para competir com todos os títulos do mercado, inclusive com THE WALKING DEAD (que apesar de ter um enredo mediano, sofre com uma narrativa fraca. Mas assim mesmo, se tornou campeão de vendas em 2012 aqui no Brasil.

CELULAR surpreende por que o autor mudou a forma de lidar com zumbis. Em seu livro de narrativa veloz e viciante, King faz os protagonistas, sobreviventes de um misterioso "pulso" por celular, ter de atravessar hordas de mortos vivos durante a noite, enquanto, durante a luz do Sol, os zumbis dormem. Algo muito diferente.

A origem do pulso, que fez milhões (ou mesmo bilhões) de pessoas se transformarem, de alguma maneira, veio através das ondas que emitem o sinal de celular. Pois todas as pessoas que tinham um aparelho em mãos, foram afetadas.

A partir daí, começa uma correria alucinante com o personagem principal, que sonhava em ter uma carreira como quadrinhista.

Porém, o mundo estava com habitantes um tanto diferentes que jamais viriam a se tornar leitores de gibis.

CELULAR é diferente de todos os outros livros de zumbis. O humor característico da obra de King aparece de forma perfeita, fazendo os leitores tomarem sustos nas horas mais inesperadas.

Sem dúvida, é um dos melhores livros de zumbis de todos os tempos. Ainda mais, pelo mistério que fez a população ficar de olhos virados.

Procurem por esse livro.

Nota 10. 


Escritor Por:



Um comentário: